Este espaço é destinado à reflexões sobre Tarô, Oráculos e Espiritualidade.

"Uma viagem pelas cartas do Tarô, é uma viagem às nossas próprias profundezas." Sallie Nichols em Jung e o Tarô


Benzimento


O Benzimento



Segundo o dicionário, a palavra benzer vem de fazer a cruz. E é com esse símbolo que a maioria dos benzimentos tem início.

Na cultura popular, corpo e espírito não se separam, tampouco desliga-se o homem do cosmos, ou a vida da religião. Para todos os males que atingem o corpo e a alma do homem sempre há uma reza para curar. É por isso que, apesar do tempo e dos avanços da medicina, a tradição dos benzedores ainda persiste na nossa moderna sociedade capitalista.

Acreditando ou não no poder da reza, tem sempre aqueles que procuram, nas rezas e nas benzeções, uma cura para a sua doença ou um alívio para a sua dor. (Rezas, Crenças, Simpatias e Benzeções: costumes e tradições do ritual de cura pela fé - Vanda Cunha Albieri Nery -Centro Universitário do Triângulo – Uberlândia/MG)

O que é o benzimento?


Benzer significa tornar Bento ou Santo. Benzer uma pessoa é o ato de rezá-la, pedindo que dela se afastem todos os males ou o mal específico que lhe esteja afligindo.

Faz-se o “sinal da cruz” sobre a pessoa, animal ou objeto, recitando orações diversas com o objetivo de consagrá-la ao divino e pedir para o favor do céu, abençoando.

A bênção é um veículo que possibilita ao seu executor estabelecer relações de solidariedade e de aliança com os santos, de um lado, com os homens de outro e entre ambos, simultaneamente (Oliveira, 1985).

É uma prática muito antiga a muitas culturas, mas aqui no Brasil ganhou força no período da colonização junto aos imigrantes que chegaram.

Vale lembrar que os próprios Índios aqui já estabelecidos praticavam seus rituais de cura dentro de um conjunto de orações no seu próprio dialeto.

A maioria das benzedeiras são idosas, católicas, com pouca escolaridade e baixa renda.

Elas encaram seu ofício como um serviço assumido por tradição e em resposta a necessidades da comunidade. Não cobram pelos benzimentos, mas geralmente os que procuram seus serviços, levam presentes como forma de agradecimento.

No quadro dos colonos tínhamos duas classes predominantes no Benzimento:

As parteiras e os benzedeiros.

O benzimento é uma técnica simples, independente de crença ou religião, de dia, lua, horário ou local para ser praticado.  

Quem pode benzer?


Alguns dizem que o benzimento só pode ser praticado quando se aprende dentro de uma tradição ou quando se é passado por alguém da própria família.

A maioria das antigas benzedeiras relatam que aprenderam com alguém da família ou que foram apadrinhadas por outra benzedeira pois tinham o dom. Algumas relatam que  receberam as orações e a missão de benzer durante  um sonho.

Atualmente muitas pessoas defendem que para praticar o benzimento não é preciso ser médium, possuir dons espirituais, nem ter nenhum tipo de pré-requisito além da vontade de ajudar ao próximo.  Sendo assim o Benzimento é livre a qualquer pessoa que queira aprender. 

Qualquer pessoa pode fazê-lo desde que tenha fé na força que vem de Deus e que habita em cada um de nós.

Através da vontade no bem, criamos um campo fluidico cheio de magnetismo benéfico , repleto de agentes restauradores de forças e energias gastas, que ao serem repostas, atuam na reparação dos males que se instalaram.

O que pode ser benzido?


As enfermidades curadas pelas benzedeiras se configuram como perturbações que atingem não apenas o corpo, a esfera física, mas estão relacionadas a questões sociais, psicológicas e/ou espirituais que afetam o cotidiano.

Enquanto a Medicina científica se concentra nos aspectos biológicos do processo saúde-doença, a benzeção ocupa-se de perturbações que desequilibram a vida das pessoas e que podem ser causadas por um amplo leque de fatores, aproximando-se mais da forma subjetiva como as pessoas vivenciam o processo saúde-doença. Além disso, a eficácia do benzimento está estreitamente relacionada ao modo como as pessoas percebem a saúde e a doença. (A BENZEÇÃO COMO PRÁTICA TERAPÊUTICA - DANIELA ARAÚJO TEIXEIRA LEITE 1, LÉA RESENDE ARCHANJO)

Negócios, mal no corpo, doenças físicas, psicológicas ou espirituais, sapinho na boca, quebranto, mau olhado, etc

Algumas benzedeiras se especializam em determinadas rezas. Por exemplo: geralmente as mulheres benzem crianças e os homens picadas de cobra


Elementos no benzimento


O dom ou a faculdade de curativa é inerente ao benzedor, a preferência por certo objeto, erva, ou certa gesticulação, serve-lhe de catalizador do próprio benzimento.

Os elementos utilizados são diversos,  tais como:

Vela, tesoura, faca, carvão, ervas, água, ramos, sal, Bíblia, rosários, fios de linha, etc

O elemento mais popular é o ramo. Algumas benzedeiras dizem que quando não  usam o ramo o mal “vira prá elas”; após a reza, se a pessoa estiver carregada, as folhas ficam “muchas”. Pode-se usar qualquer tipo ramos de plantas para realizar o benzimento.

Dentre as ervas podemos citar a arruda, o alecrim, o elevante, o guiné. Pelas propriedades de cada uma delas, de limpar a energia negativa. Ou ainda alguma erva que a benzedeira use somente para esse fim.

Também são utilizados elementos em rezas específicas, como por exemplo uma faca  para cortar o mau olhado ou o ramo de oliveira para a “vermelhidão”. No entanto é importante que aqueles que queiram iniciar a prática do benzimento saibam que os elementos não são necessários. (Texto ditado no ano de 1991 por PAI BENEDITO DOS CRUZEIROS) (encontrado na internet)

"Quando mencionamos o uso de objetos dentro do benzimento, notamos que na realidade se vincula aos mesmos no plano etéreo suas atuações idênticas no plano físico.

Quando utilizamos facas para se benzer, nem sempre esta prática é bem aceita pois a associação que se faz com este elemento está sempre ligada ao negativo. Olhando por um prisma espiritual verificaremos que a faca tem uma única função “CORTAR" e não deve ser associado a ela a AÇÃO que o ser vivente toma com a mesma, sendo esta segunda de total responsabilidade de quem o faz.

Ao benzermos uma pessoa com o uso de uma faca, pouco importa sua forma ou alegoria que nela seja colocada, nem tão pouco se tenha corte ou não, pois em momento algum há o contato dela e de seu fio de corte com a pessoa que esta sendo benzida, ficando a atuação somente no campo ritualístico.

Os movimentos neste benzimento devem ser lentos para não assustar o assistido e vale lembrar que a fé é elemento propulsor de energia e sem a mesma nada se realiza.


Benzimento feito a distância

Assim como outras técnicas, o benzimento pode ser utilizado em benefício daqueles que não se encontram presentes, considerando-se que a intenção do bento e a energia acessada através das rezas e orações irão transpor os limites de espaço-tempo, chegando até o local de origem.

Rezas


Quebranto ou mau olhado em crianças

O problema da criança acontece quando pessoas adultas, que possuem uma atmosfera fluídica mal sã, ficam com a criança no colo por muito tempo.

A energia ruim que circunda a pessoa contamina a atmosfera espiritual da criança.

Isso deixa o bebê irritado, prejudica o seu sono e em certas situações pode causar desarranjos orgânicos.

CONTRA QUEBRANTO

Quando uma pessoa anda deprimida, mole ou cansada, diz-se que, lhe deitaram mau olhado. O mau olhado ou o quebranto, ambos muito parecidos, atingem pessoas, animais ou coisas, facilmente.

Pegar um copo com água, um galho de arruda, molhar o galho e ir benzendo, ao final; colocar o galho dentro do copo, se afundar, estava cheio de quebranto ir ao portão da rua, vira-se de costas e joga por cima dos ombros de quem se está benzendo, isso com a pessoa de costa para rua.

Obs.: Enquanto está benzendo dizer:

“Mal do ar, mal do mar, mal do fogo, mal da lua, mal das estrelas, mal do ponto do meio dia, mal do ponto da meia noite. Se tiveres co quebranto, mau olhado, feitiçaria e bruxaria, em nome de Deus e da Virgem Maria, seja levado paras ondas do mar sagrado, onde não canta o galo nem a galinha e nem tem criancinha chorando e nem cristão batizado. Depois rezar um Pai Nosso e uma Ave Maria.”

Atenção: Pode-se também realizar com um copo com água, uma tesoura de aço e brasa de fogão. Após ter realizado a ladainha, colocar a brasa dentro do copo com água. Despachar, também na rua.

COM GALHO DE ARRUDA CONTRA MAU OLHADO E FEITIÇARIA

Dizer: Deus te fez, Deus te criou. Deus tire o mal que no teu corpo entrou. Em louvor de São Pedro e São Paulo, que tire esse mau olhado, inveja ou feitiçaria.

Assim como Deus fez o mar sagrado, assim ele te tire este mau olhado ou olho grande. Assim como Nosso Senhor foi nascido em Belém, e crucificado em Jerusalém, assim se vá o mal desta criatura se por acaso o tem. 

“Essa benzedura, deve ser realizada com um copo com água, ir molhando o galho de arruda dentro do copo e ir fazendo em cruz da cabeça aos pés”. No final, devemos jogar fora água e o galho de arruda, do portão para fora da casa. Repetir por três dias seguidos.

Benzedura contra a inveja

(encontrada na internet)

Santo Inácio das Loures é de santo e é de sado

E é por santo fundado

E é o Senhor Crucificado

Desorga! Desorga! Três vezes desorga!

Bruxas feiticeiras, mal de inveja

Do corpo de uma pessoa para fora

Que não tenha que doer como elas

Nem em casa, nem na rua, nem por onde passear

Eu te benzo com a santa segunda

Eu te benzo com a santa terça

Eu te benzo com a santa quarta

Eu te benzo com a santa quinta

Eu te benzo com a santa sexta

Eu te benzo com o santo sábado

Eu te benzo com o santo domingo

Que são as nove palavras

Que Deus Nosso Senhor benzeu

O seu bendito Filho.

As pessoas têm que trazer três dentes de alho para serem benzidos com o sal, e depois têm que dormir com o sal e os alhos debaixo da cabeceira durante três noites. Depois, faz-se um fogo e "joga-se" lá para dentro os alhos e o sal em cruz, para arder tudo. Há pessoas que a dizem três vezes e há pessoas que a dizem nove.

Preparar a água benta

(Encontrada na internet)

Utilizo o seguinte procedimento:


Material.

Garrafa de vidro com água filtrada.
Vela branca.
Caixa de fósforos.

Procedimento. 

1. Antes de iniciar, lavo as mãos com agua corrente e enxugo-as bem.
2. Toma um copo de água filtrada em sinal de respeito e purificação.
3. Durante +- 5 minutos fico em silêncio, quando é possível (sou casado e tenho dois pequeninos muito arteiros, uma filha de cinco anos e outro de dois anos e são as minhas preciosidades e bençãos em minha vida, claro minha esposa não poderia faltar).
4. Acendo a vela branca com fósforo.
5. Inicio a benção da água.

Oração.

Criatura água
Por este sinal (+ com a vela)
Eu te exorciso de toda mal e de toda impureza
Por este sinal (+ com a vela)
Eu te abençoo com a luz eterna 
Por este sinal (+ com a vela)
Eu te purifico com a benção de Deus Pai.

Rezo 3 pai nossos, 3 ave marias e 3 Santo Anjos.

Resumo elaborado por Joyce Muzy

Fontes:

Além das citadas no corpo do texto:

- OLIVEIRA ER. O que é benzeção. São Paulo: Brasiliense; 1985.

- SANTOS FV. O ofício das rezadeiras: um estudo antropológico sobre as práticas

terapêuticas e a comunhão de crenças entre as rezadeiras de Cruzeta/RN. [dissertação]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2007.

- Rezas, Crenças, Simpatias e Benzeções: costumes e tradições do ritual de cura pela fé - Vanda Cunha Albieri Nery - Centro Universitário do Triângulo – Uberlândia/MG

Origem: http://transmutese.blogspot.com.br/2011/06/o-benzimento-o-que-e-quem-pode-benzer.html